Recifes de Corais e Piscinas

Ao longo do litoral de Tamandaré, podem ser encontradas três linhas de barreiras de arenito e de corais compactados, estruturadas ou não, interconectadas por cavernas submersas. Foram registradas em 1996, 99 espécies de peixes tropicais de recifes de corais por Ferreira e Maida (UFPE). Os topos planos das barreiras de recifes, nivelados por abrasão de ondas, ficam em geral, expostos na maré baixa, isolando piscinas de águas transparentes com fundos cobertos por fragmentos de exo e endoesqueletos calcários dos habitantes / construtores das barreiras.
 

Areias brancas e arrecifes - Foto J. Coimbra
Areias brancas e Arrecifes - A maré baixa, expõe linhas de barreiras de recifes de corais, protegendo as praias de Tamandaré do embate diretos das ondas. As grandes piscinas naturais que se formam, mantém a temperatura das águas bastante agradáveis e tranquilas, convidando para um demorado banho.


Piscinas - Foto: J. Coimbra
Piscinas - Nas piscinas que se formam entre os recifes de corais, nade com os coloridos e animados peixes tropicais. Não esqueça de trazer máscara de mergulho e pés de pato.


Piscinas - Foto: L. F. Accioly Cavalcanti
Piscinas - As marés baixas da lua cheia, permitem que se alcance as barreiras de corais, em frente ao pontal de Tamandaré, sem o uso de embarcações. Conhecer o ritmo das marés é fundamental para evitar surpresas.


Piscinas - Foto: L. F. Accioly Cavalcanti
Piscinas - As águas transparentes, recheadas de peixes tropicais de diversas espécies, são um convite ao mergulho.


Piscinas - Foto: L. F. Accioly Cavalcanti
Piscinas - Para garantir seu mergulho, traga óculos e pés de pato. Ainda é difícil alugar esse tipo de equipamento por aqui.


Piscinas - Foto: L. F. Accioly Cavalcanti
Piscinas - Desse ambiente, "nada se tira a não ser fotografias, nada se deixa, nem mesmo pegadas e nada se mata a não ser o tempo". As gerações futuras antecipadamente agradecem.


Piscinas - Foto: L. F. Accioly Cavalcanti
Piscinas - Especiais cuidados, devem ser tomados com a exposição ao sol. Não ha onde se esconder.


Peixes à sombra dos Corais - Foto: J. Coimbra
Peixes à sombra - Nas piscinas, até os peixes se abrigam à sombra, fugindo do sol escaldante.


Corais - Foto: J. Coimbra
Corais nos Carneiros - Ao longo das barreiras de recifes de corais, ocorrem descontinuidades, que transformam a barreira em um conjunto de colunas.


Corais - Foto: J. Coimbra
Corais nas Campas - Na Praia das Campas, além das barreiras de recifes de corais expostas no ritmo das marés, podem ser encontradas antigas barreiras de arenito, enterradas a menos de 1,5 metros.


Corais - Foto: J. Coimbra
Corais na Perua Preta e Carneiros - Nas Praias da Perua Preta e dos Carneiros, as barreias de recifes da primeira linha, são abandonadas no seco com o recuo da maré.


Corais - Foto: J. Coimbra
Corais rumo Norte - Na foz do rio Formoso, um passeio sobre a barreira de corais, que se alonga rumo norte, proporciona ao visitante a possibilidade de observar ouriços em profusão e diversas espécies de peixes.